; Escola Alemã – Cervejaria Lorena

A Escola Alemã

A escola Alemã é marcada fortemente pela Reinheitsgebot, Lei da Pureza da Cerveja de 1516, que identifica como os únicos ingredientes da cerveja, o malte de cevada, o lúpulo e a água (Como a levedura ainda não havia sido identificada até Louis Pasteur descobri-la em meados do sec. XIX, ela não consta na lei da Pureza da cerveja original). Devido à lei, era proibido fazer cerveja com qualquer outro tipo de cereal que não a cevada malteada ou qualquer outro tipo de tempero que não o lúpulo, isso garantia a qualidade da cerveja produzida e criou uma forte identidade da cerveja germânica, fazendo com que a Alemanha ficasse conhecida como o berço das cervejas Lagers.

De todos os estilos de cervejas produzidos na Alemanha, somente quatro não são Lagers (são Ales), são elas: a Weizenbier (cerveja de trigo tradicional da Baviera), a Kölsh (original da cidade de Colônia), a Altbier da cidade de Düsseldorf e a Berliner-Weisse de Berlim.

Todos os outros estilos de cerveja, Schwarzbier, Munich Helles, Bock, Pils, Märzenbier, Oktoberfestbier, Kellerbier, Dunkel, Vienna, Doppelbock e qualquer outro estilo tradicional de cerveja feito nas atuais Alemanha, Áustria e Republica Checa, são Lagers.

 

Porque as Lagers são tão populares lá?

Como antigamente (antes do sec. XV) só era possível fazer cerveja nos frios meses de inverno, os alemães revolucionaram o mundo cervejeiro ao começarem a armazenar grandes blocos de gelo formado nos lagos e rios, em grandes cavernas onde eles armazenariam (Laguer em alemão) a cerveja para ser consumida no verão.

Devido a esse processo, os alemães acidentalmente selecionaram um tipo de levedura mais resistente ao frio e que produzia cervejas mais límpidas e com menos sabores indesejados, muito antes de se ter conhecimento do que eram leveduras.

 

Fonte: cevanobar.com

Receber Novidades

Compre pelo atendimento on-line no chat ao lado.